quinta-feira, 26 de junho de 2008

Ética na Internet ou Internet com Ética?

Não precisamos ser gurus para perceber que o mundo está passando por uma quarta onda de transformações. É cada vez mais repetitivo dizer que estamos vivendo a era da revolução da informação, lastreada na tecnologia disponível, que elimina as barreiras da distância relacionada à língua e à cultura e nos conduz a novos processos de produção, a novas formas de diversão, a um novo modo de viver e pensar, agir e interagir.

Mas, quanto mais veloz e voraz é o avanço tecnológico, maior é o abismo que separa o mundo tecnologicamente "in" do mundo tecnologicamente "out".

Conseqüentemente, estas transformações na escola estão relacionadas aos alunos de hoje, que já não são iguais aos de ontem, principalmente no que se refere aos comportamentos ético e disciplinar. Não adianta nos lamentarmos diante disso, pois tal fato é conseqüência de que os pais também não são iguais aos de antigamente; as cidades mudaram, os valores humanos, enfim, o mundo todo mudou. As transformações dos últimos quinze anos foram muito mais significativas do que as ocorridas de 1900 a 1990.

As principais mudanças mundiais, entretanto, concentram-se nas formas de comunicação, especialmente em razão do avanço da informática e dos meios eletrônicos. Os diálogos entre amigos, que até a década de 1970 ocorriam pessoalmente, no final do século XX passaram a acontecer por telefone e hoje se dão pelo computador.

Seguindo o “velho conselho” de um sábio pensador, vale lembrar que “Há coisas que pensamos, mas não dizemos; e outras que dizemos, mas não escrevemos, sob pena de nos arrependermos”.

Entretanto, sem levar em conta a lição acima, as conversas de hoje são registradas. As comunidades Orkut, os e-mails, torpedos via telefone celular e os bate-papos virtuais imperam entre os jovens. Temos nos deparado com diversos relatos de abusos no uso dessas formas de comunicação.

Pensamos que o grande desafio é conscientizar as crianças e adolescentes, de que alguns comportamentos na utilização dos meios eletrônicos são “atos infracionais” e devem ser restringidos.

É importante que todos saibam que suas comunicações virtuais não lhes garantem o anonimato, como muitos parecem acreditar. É fundamental que tenham a informação de que não podem ofender as pessoas impunemente, nem imputar conduta imoral ou desonrosa a alguém, sob pena de responderem por tais atos. Mesmo sendo menores de idade, na medida em que cometam “crimes”, podem ser responsabilizados em consonância com o Estatuto da Criança e do Adolescente. Essa lei oferece vários direitos à criança (menor de 12 anos) e ao adolescente (menor entre 12 e 18 anos), mas é preciso alertá-los de que ela também pune.

É oportuno destacar que os “atos infracionais” podem gerar punições, especialmente aos adolescentes, que são as seguintes:

I - advertência;
II - obrigação de reparar o dano;
III - prestação de serviços à comunidade;
IV - liberdade assistida;
V - inserção em regime de semiliberdade; e
VI - internação em reformatórios (estabelecimento correcional privado).

É de extrema importância saber que se pode estar cometendo crimes de injúria, calúnia ou difamação. Como reforço, devemos mencionar que ao “ofendido” é possível pedir que o Judiciário faça a identificação do autor, pois ele que não conta com o anonimato. O autor das mensagens deve pensar mais antes de escrevê-las, pois poderá responder legalmente pelos seus atos.

Para tanto, sugerimos que todos reflitam sobre o que é ética e se conscientizem de que a boa convivência na Internet depende de uma série de regras conhecidas como netiqueta ou etiqueta na rede. As regras incluídas na netiqueta não foram definidas por uma autoridade no assunto, mas criadas pelos próprios usuários ao longo do tempo. Também não existe um texto único e definitivo sobre o tema, mas várias interpretações espalhadas pela rede.

Diante disso temos que fazer uma pergunta para nos mesmos, Eu sei o que é ética?
Segundo o Dicionário Aurélio Buarque de Holanda, ÉTICA é "o estudo dos juízos de apreciação que se referem à conduta humana susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto”.

Alguns diferenciam ética e moral de vários modos:

1.Ética é princípio, moral são aspectos de condutas específicas;
2.Ética é permanente, moral é temporal;
3.Ética é universal, moral é cultural;
4.Ética é regra, moral é conduta da regra;
5.Ética é teoria, moral é prática.

Etimologicamente falando, ética vem do grego "ethos", e tem seu correlato no latim "morale", com o mesmo significado: Conduta, ou relativo aos costumes. Podemos concluir que etimologicamente ética e moral são palavras sinônimas.

Leia os Dez Mandamentos da Ética na Internet

*Não use o computador para prejudicar as pessoas.
*Não interfira no trabalho de outras pessoas.
*Não altere arquivos alheios.
*Não use o computador para roubar.
*Não use o computador para obter falsos testemunhos.
*Não use nem copie softwares pelos quais você não pagou.
*Não use os recursos de computadores alheios sem pedir permissão.
*Não se aproprie de idéias que não são suas.
*Pense nas conseqüências sociais causadas pelo que você escreve.
*Use o computador de modo que demonstre consideração e respeito.

E concluindo nosso papo, acredito que poderíamos refletir de novo.
Afinal, o que é ética?

ÉTICA é algo que todos precisam ter.

Alguns dizem que têm.

Poucos levam a sério.

Mas temos que nos conscientizar de que ela é essencial para nossa sobrevivência social.

Fonte de pesquisa: http://www.gdv.com.br/etica/etica.htm

4 comentários:

Maria Aparecida disse...

Analisar a ética é uma questão muito intrigante estamos vivendo um tempo onde as pessoas estão muito preocupadas com o ter e não com o ser, e aí fazem de tudo para atingir seus objetivos escusos,os valores morais estão passando por um momeno bastante crítico, eu penso que o desenvolvimento das potencialidades humanas e a globalização facilitou ao homem usar seu livre arbítrio de uma forma mais ampla, mas como a as oportunidades se maximizaram muitas pessoas hoje estão envolvidas em seus devaneios pelo poder e consequentemente colocando em prática sua falta de ética, mas quem não tem, não tem em qualquer lugar, seja na Internet, seja na sua vida pessoal, para mim isto é uma questão de evolução moral nem todos atingiram ainda. Precisamos trabalhar mais em nossos alunos a questão dos princípios morais e a dignidade do homem. Acredito na educação, e acredito que podemos contribuir muito usando o nosso potencial de educadores e formadores de opinião. Podemos dismistificar os ídolos do erro e exemplificar com nossas ações e atitudes, situações de respeito e integridade moral.
Precisamos não só ensinar a ética, mas principalmente vivenciar a ética, seja ela na Internet, ou na nossa vida diária.

Maria Aparecida Vargas

ilseterezende disse...

Muito interessante este artigo, pois muitos desconhecem regras para o uso da computador e não estão nem aí para as conseqüências de seus atos.
Precisamos sim, conscientizar nossos alunos sobre a Ética não só para o uso da informática mas também em vários segmentos.

graça rezende disse...

A ética, ou seja,os corretos valores que devem pautar todo tipo de relação, é de suma importância,não importando que os espaços sejam virtuais ou não.

Vina disse...

Navegar é preciso, mas antes é preciso conscientizar os nossos alunos sobre seus direitos e deveres como "cidadãos cibernéticos". Afinal os princípios da boa convivência entre pessoas, no mundo real, vale também para o mundo virtual. Existe sempre a necessidade de se criar um código de conduta consciente para utilizar os meios digitais.