sábado, 14 de junho de 2008

Educação, tecnologia e seus caminhos

*Divina Salvador Silva


Nos nossos tempos modernos, em que mudanças vertiginosas estão ocorrendo, mais importante que Aprender a Aprender é Aprender a Desaprender. Só que aprender a desaprender é bem mais difícil. Crenças depois de estabelecidas, não podem mais ser apagadas, só enfraquecidas.

O mundo está se transformando, novas descobertas acontecem e a distância entre o presente e o futuro se torna cada vez menor.

É claro que a Tecnologia não é responsável por toda a transformação cultural que ela impulsiona. A mudança tecnológica apenas cria novos espaços de possibilidades a serem, então explorados, (no caso das novas tecnologias da informática seria, rede de computadores, processamento de linguagem, inteligência artificial, linguagens icônicas, hipertextos, multimídia...)

O educador precisa acompanhar a evolução tecnológica, para que o processo-ensino-aprendizagem ocorra de forma eficaz.

Sabemos que para uma planta crescer temos que podá-la.

E como fazer isto com o professor? E com o aluno?

Configura-se que na escola moderna, Aluno aprende com Professor; Professor aprende com Aluno; Aluno aprende com Aluno (este último tem ganhado grande espaço no contexto educacional, quando se trata de Aprendizagem por Projetos) e professor aprende com professor.

Os conteúdos e as aprendizagens são orientações expressas pela atual forma educativa, onde surge uma preocupação pela adequação à realidade inserida. A escola acorda e começa a trilhar em um caminho entre a teoria e a prática e o ensino globalizado.

As dificuldades levam a escola a se “re” organizar, a aprofundar e adotar uma postura diante da questão.
O ponto alvo está em o diretor ouvir os seus especialistas que são os professores, os alunos, os funcionários e juntos então montar uma proposta metodológica, um plano de trabalho, enfim uma trajetória de vida para a escola.

Paulo Freire, deixa claro em seu livro “Pedagogia da autonomia” que somente um método será capaz deste efeito.

"A Ação e o Diálogo".

O diálogo é a base do método de Paulo Freire. Mas o que é o diálogo?

- É uma relação de comunicação de intercomunicação, que gera a crítica e a problematização, uma vez que é possível a ambos o parceiro perguntar "por que?”.

DIA significa ultrapassar e LOGO significa razão.

Diálogo no estudo da raiz da palavra caracteriza por: - ultrapassar para o lado da razão.

O diálogo nutre-se, portanto, da humildade, da simpatia, da esperança, da confiança dos que o realizam, passando sim para o lado da razão, onde o primeiro passo será a "Ação".

O respeito mútuo implica na superação dos próprios pontos de vista e implica em compartilhar com o outro uma escala de valores e juntos definir as metas a serem trabalhadas.

Piaget, Paulo Freire; Maturana e Varela (l982) e outros autores ressaltam que é só na cooperação que a superação da crise se efetiva. O homem isolado não chegaria jamais a conhecimento algum. O fenômeno do amor é que permite a transformação, pois é só vendo-se no outro que se tem coragem de promover a mudança ética. Piaget considera que nas relações cooperativas, o respeito mútuo é uma exigência.

É preciso que o processo educativo não transmita certezas, que ele seja agradável e significativo, privilegie a expressão e a comunicação de todos os participantes, promova o encontro, a convivência e a cooperação.

Divina Salvador Silva - Pedagoga - Especializada em Orientação, Supervisão e Administração Escolar; Profª/Coord. de Informática Educacional.


Fonte:http://www.centrorefeducacional.com.br/edutecnol.htm

atualizado/setembro/2007

7 comentários:

Robson Freire disse...

Olá cursistas

Parabéns primeiro a Sibele pelo maravilhoso texto com que ela nos brindou. Ele traz exatamente aquilo que estamos discutindo dentro do nosso curso: uma mudança de atitude, um novo perfil para o profissional de educação, levar uma nova proposta didático pedagógica para as escolas, levar as novas tecnologias dentro de uma escola moderna, atual onde todos aprendem com todos.
Nesse espaço de construção coletiva, onde o papel de todos tem igual importância na formação e educação dos alunos o saber, o fazer, o acontecer, o dialogar e onde o envolvimento de todos nesse processo e fundamental nesse futuro que está ai na porta.
Gostaria de lembrar que todos devem comentar todos os artigos postados no blog , pois eles fazem parte da avaliação final.

Abraços

Ilsete disse...

Alguns professores tem tentado caminhar paralelamente com a tecnologia, mas os avanços estão tão rápidos, que às vezes mal começamos a nos ambientar com algumas tecnologias chega no mercado algo com uma versão mais nova.
Mas estamos caminhando, e faço sempre convite a outros colegas. E fica aí o recado, convide você também, amigos da área, para se juntar a nós.
Parabéns, Sibele

Rosângela Hipolito disse...

O nosso papel como professor é mostrar ao aluno para que serve o conhecimento. Ele precisa enxergar-se, apenas, como uma parte do processo de aprendizado. Diante dessa nova situação, é importante que o professor possa refletir sobre essa nova realidade, repensar sua prática e construir novas formas de ação que permitam não só lidar, com essa nova realidade, com também construí-la. Para que isso ocorra! O professor tem que ir para o laboratório de informática dar sua aula e não deixar uma terceira pessoa fazer isso por ele. NÃO PODEMOS CRUZAR OS BRAÇOS.

Thereza Christina disse...

Gostei muito dessa frase: Aprender a Aprender é Aprender a Desaprender. É isso mesmo!! A tecnologia orientada deve trazer benefícios para a educação de uma forma agradável, tanto para os alunos, quanto para os professores. Um abraço.

Maria Aparecida disse...

Olá colega,
O texto escolhido nos remete a várias indagações. Por exemplo Será que estou desaprendendo o que aprendi? ou Será que aprendi a aprender? Bem espero estar no caminho certo, pelo menos tenho consciência que preciso aprender muito, isso já me parece um bom começo.
Precisamos unir nossos esforços por uma educação integral e real, adequar nosso conhecimento dentro das novas tecnologias e dos novos tempos, acredito de fato que a aprendizagem só é efetiva quando no ensino-aprendizagem há diálogo e preocupação na adequação das novas tecnologias a realidade do aluno.
A escola precisa implementar ações que façam o aluno superar seus limites e realizar novos encontros com o conhecimento.

Vina disse...

O que diferencia o homem dos outros animais é a sua forma de se comunicar. A comunicação e o registro dela é que foi responsável pela evolução da humanidade. Saber viver em grupo, trabalhar em equipe é uma questão de sobrevivência e acima de tudo: evolução.

Gisele Guerra disse...

A tecnologia deve ser utilizada pelos educadores como um dos recursos facilitadores para o processo de aprendizagem, mas devemos ter consciência crítica, realista e futurista de que a tecnologia "surge" de nós e "volta" pra nós, somos as mentes controladoras e direcionadoras. Um professor que não acompanha as evoluções tecnológicas, infelizmente, deixa de conduzir e passa a ser refém de uma situação que vai além de um constrangimento em sala ou diálogo escolar, levando-o a falta de atualização para prosseguir com o processo de aprendizagem, tornando-se incapaz de lecionar.

Escrito por Gisele Guerra
www.giseleguerra.blogspot.com