domingo, 22 de junho de 2008

Novas tecnologias e o re-encantamento do mundo

As tecnologias de comunicação não mudam necessariamente a relação pedagógica. As Tecnologias tanto servem para reforçar uma visão conservadora, individualista como uma visão progressista. A pessoa autoritária utilizará o computador para reforçar ainda mais o seu controle sobre os outros. Por outro lado, uma mente aberta, interativa, participativa encontrará nas tecnologias ferramentas maravilhosas de ampliar a interação.
As tecnologias de comunicação não substituem o professor, mas modificam algumas das suas funções. A tarefa de passar informações pode ser deixada aos bancos de dados, livros, vídeos, programas em CD. O professor se transforma agora no estimulador da curiosidade do aluno por querer conhecer, por pesquisar, por buscar a informação mais relevante. Num segundo momento, coordena o processo de apresentação dos resultados pelos alunos. Depois, questiona alguns dos dados apresentados, contextualiza os resultados, os adapta à realidade dos alunos, questiona os dados apresentados. Transforma informação em conhecimento e conhecimento em saber, em vida, em sabedoria -o conhecimento com ética.
As tecnologias permitem um novo encantamento na escola, ao abrir suas paredes e possibilitar que alunos conversem e pesquisem com outros alunos da mesma cidade, país ou do exterior, no seu próprio ritmo. O mesmo acontece com os professores. Os trabalhos de pesquisa podem ser compartilhados por outros alunos e divulgados instantaneamente na rede para quem quiser.Alunos e professores encontram inúmeras bibliotecas eletrônicas, revistas on line, com muitos textos, imagens e sons, que facilitam a tarefa de preparar as aulas, fazer trabalhos de pesquisa e ter materiais atraentes para apresentação. O professor pode estar mais próximo do aluno. Pode receber mensagens com dúvidas, pode passar informações complementares para determinados alunos. Pode adaptar a sua aula para o ritmo de cada aluno.Pode procurar ajuda em outros colegas sobre problemas que surgem, novos programas para a sua área de conhecimento. O processo de ensino-aprendizagem pode ganhar assim um dinamismo, inovação e poder de comunicação inusitados.
O re-encantamento, em fim, não reside principalmente nas tecnologias -cada vez mais sedutoras- mas em nós mesmos, na capacidade em tornar-nos pessoas plenas, num mundo em grandes mudanças e que nos solicita a um consumismo devorador e pernicioso. É maravilhoso crescer, evoluir, comunicar-se plenamente com tantas tecnologias de apoio. É frustrante, por outro lado, constatar que muitos só utilizam essas tecnologias nas suas dimensões mais superficiais, alienantes ou autoritárias. O re-encantamento, em grande parte, vai depender de nós.

Autor: José Manuel Moran
Fonte: http://www.eca.usp.br/prof/moran/novtec.htm

Postado por: Aparecida

9 comentários:

Robson Freire disse...

Olá Cursistas

Que maravilha de texto!!!

O texto mostra que o papel do professor não será tomado pela maquina, e que o seu novo papel dentro desta nova etapa da educação. Poder ser o agente transformador que estimula a busca pelo conhecimento é algo realmente maravilhoso e gratificante.

Numa escola onde os professores professam e comungam o novo, o aluno vê essa escola realmente como sua segunda casa.

O re-encantamento começa aqui e agora, neste caminho que estamos construindo com interação, colaboração para construir um novo professor, dentro de uma nova escola onde os alunos amam estar nela.

Abraços

Thereza Christina disse...

Adorei o texto, principalmente a parte que mostra que o trabalho do professor pode ser compartilhado, gerando assim uma forma de comunicação universal onde todos podem trocar idéias sobre como melhorar, ou ainda, aperfeiçoar o seu trabalho.Um abraço.

Sibele Maria disse...

O texto nos mostra a importância do papel do educador quando ele utiliza adequadamente as tecnologias de comunicação. As inúmeras possibilidades, esse leque que se abre quando interagimos com outras pessoas.

Usar essas tecnologias sim, mas de forma relevante, que promova o interesse pela busca da construção do conhecimento.

Um abraço!

Graça Rezende disse...

“As tecnologias de comunicação não substituem o professor, mas modificam algumas das suas funções...” este é o nosso desafio reaprender a nossa prática pedagógica, sem nunca perder o nosso encantamento diante da vida, que está sempre em movimento e da importância do professor no processo educacional.
Beijos...Graça.

José Luiz Barbosa disse...

Olá, Aparecida!
Você foi muito feliz em escolher este texto para postagem. Primeiro porque o prof. Moran é mesmo o grande intelectual do universo das novas tecnologias na escola. Depois porque ele fala não apenas na virtualidade da teoria, mas de uma prática pedagógica possível.
Um forte abraço.

Marília de Fátima disse...

O “verdadeiro” Professor não permitirá que a tecnologia tome seu lugar, mas sabiamente, fará o uso correto dela, em benefício próprio e em benefício de seus alunos. Usará a tecnologia para se aproximar cada vez mais de seus alunos, tornando o processo ensino-aprendizagem mais real, mais verdadeiro.

Abraços.

Rosângela Hipolito disse...

Realmente precisamos aproveitar este conhecimento dos nossos alunos a nosso favor, pois a INTERNET é a nova mídia do momento e só esta constatação já é motivo para polêmica. Como meio de comunicação, a INTERNET contribui para interligar pessoas no mundo todo, possibilitando discussões sobre os mais diferentes assuntos. Diminui distâncias de tempo e espaço e reduz consideravelmente o custo em relação ao telefone ou quaisquer outros meios conhecidos.Esse é o mundo dos nossos alunos e precisamos acompanhá-los,embora tenhamos receio do novo.Sendo professores, somos guerreiros, portanto conseguiremos vencer mais esse desafio.

ilsete rezende disse...

Estou encantada com o texto, pois as tecnologias estão aí e precisamos usá-las a nosso favor.

Vina disse...

Tecnologias e seus produtos não são nem bons e nem maus por si só. É nos processos humanos, que podem empregá-los para a emancipação ou para a dominação, que os seus resultados se mostram.
É necessário lembrar sempre que o homem se constitui em sua humanidade à medida que desenvolve a sua capacidade de fazer escolhas e lançar-se ao mundo, transformando-se e transformando-o.
Vina