domingo, 22 de junho de 2008

Mensagem


Olá Cursistas

Hoje relendo um livro encontrei essa citação do Paulo Freire que diz tudo.

"Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino"

Ele realmente é um mestre nesse novo contexto educacional.

Abraços

Robson Freire

9 comentários:

Thereza Christina disse...

A curiosidade deve sempre estar ao lado do professor. Ela nos leva a conhecer mais o ser humano como pessoa e a conhecer mais as atitudes que, às vezes, nos desanima e nos entristece.Mas ainda acredito na EDUCAÇÃO como a forma de saída para os principais problemas. Um abraço.

Sibele Maria disse...

Se não somos curiosos não aprendemos nem ensinamos, pois a curiosidade no move em busca de soluções. Porque não atiçar a curiosidade de nossos alunos?

Neusa disse...

SEM CURIOSIDADE NÃO CONSEGUIREMOS APRENDER E NEM ENSINAR, ENTÃO TEMOS QUE ESTAR SEMPRE CURIOSOS EM APRENDER, PARA QUE POSSAMOS PASSAR PARA NOSSOS ALUNOS TUDO AQUILO QUE DE MELHOR APRENDEMOS. AINDA ACREDITO NA EDUCAÇÃO.

Veta disse...

Nós professores precisamos nos inovarmos, senão vamos deixar de sermos mestras, para sermos discípulas.

Beta disse...

Corrigindo meu nome,no comentário anterior é Beta.

Maria disse...

A curioidade é realmente o que impulsiona o homem. Nós os educadores precisamos ser curiosos para descobrir novos conhecimentos. A curiosidade é que move nossa vontade em direção ao desconhecido, e através dela podemos aprender mais e ensinar melhor.
Paulo Freire, foi muito feliz como sempre nessa sua colocação.

Maria Aparecida Vargas

Ilsete Rezende disse...

Precisamos ser curiosos assim como uma criança que está desvendando o mundo ao seu redor.

graça rezende disse...

Poucas e sábias palavras!Um olhar curioso e pronto a aprender...desafio constante do bom professor e do bom discípulo!

Vina disse...

Faço o meu comentário com uma citação de Paulo Freite:
"Eu me movo como professor porque apesar de saber que é difícil mudar eu sei que é possível mudar. Pode ser até que o agente da mudança mais radical não seja sequer a minha geração, mas sem a minha geração a outra não vai mudar".